Esperança News: Notícias

ANUNCIE EM NOSSO SITE

ANUNCIE EM NOSSO SITE AQUI
Mostrando postagens com marcador Notícias. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Notícias. Mostrar todas as postagens

Neta que incendiou casa dos avós estava de castigo por pesquisar bruxaria Familiares relatarm que a menina apresenta repetidos episódios de mudanças comportamentais

 

Avó teve que pular de prédio para fugir do fogo Foto: Reprodução/Redes Sociais

A criança que ateou fogo no apartamento dos avós na cidade mineira de Patos de Minas, neste sábado (14), após ser proibida de usar o celular, estava de castigo por pesquisar rituais de bruxaria. A informação foi relatada pelo avô da menina e divulgada pelo jornal O Tempo.

O avô, de 70 anos, relatou que ela estava com a esposa, de 53 anos, no quarto do apartamento, quando a neta teria chegado e pedido para usar o celular. A avó, porém, se negou a entregar o aparelho e lembrou a garota do castigo. Com isso, a menina disse que desceria para brincar de patins, mas ao sair do cômodo trancou a porta pelo lado de fora.

Na sequência, o avô da menina disse ter dormido e depois acordado com o cheiro de fumaça e estalo de madeira, mas não conseguiu abrir a porta e precisou arrombar para sair. Entretanto, ele se deparou com fogo e fumaça na sala e voltou para o quarto.

Diante disso, e com a recomendação de policiais militares que tentavam sem sucesso apagar o fogo do imóvel, os vizinhos colocaram colchões do lado de fora do prédio e salvaram o casal, que pulou da janela do apartamento. Após o ocorrido, a avó da criança foi levada ao hospital, enquanto o avô, que estava consciente e caminhando, não precisou ser hospitalizado.

O avô disse que a criança mora com eles na maioria dos dias da semana e que o castigo foi imposto pela avó, que viu no aparelho “diversas pesquisas de rituais de bruxaria”. O idoso, porém, não soube dizer se essas pesquisas teriam ligação com o fato desse sábado. Familiares relatarm que a menina apresenta repetidos episódios de mudanças comportamentais, como oscilação de humor.

A menina, que segundo a PM teria descido as escadas para andar de patins na área comum do prédio após prender os avós no apartamento, foi entregue aos cuidados da mãe e será acompanhada pelo Conselho Tutelar. A Polícia Civil informou que vai analisar as causas e circunstâncias do fato.

Confira o vídeo do ocorrido:

Share:

Michelle responde postagem de Pavinatto sobre Karol Eller Ex-primeira-dama discordou do apresentador

Michelle Bolsonaro Foto: Zack Stencil / PL

A ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro deixou um comentário na publicação do apresentador Tiago Pavinatto, na qual ele falou sobre a morte da influenciadora Karol Eller. O jurista apontou que o possível suicídio da influenciadora pode ter se dado pela “reorientação sexual” que é estimulada no cristianismo. Michelle, que é evangélica, discordou.

 A ex-primeira-dama destacou a depressão sofrida por Karol em decorrência de abusos.

– Lembrando, meu querido Pavinatto, que a nossa Karol sofria de depressão decorrente de uma vida de abusos – escreveu.

Michelle também falou de Jesus:

– Jesus tem uma forma especial e particular para tratar os Seus filhos. Ele veio para trazer luz, vida e transformação – completou.

O comentário de Michelle se alinhou ao de muitos internautas que se opuseram à posição de Pavinatto. A publicação do apresentador rendeu muitas críticas. Segundo ele, “não se muda a essência de alguém”.

Confira na íntegra o posicionamento de Pavinatto:

Share:

Defesa de casal do caso Moraes cogita mostrar fotos com Lula Roberto Mantovani aparece em imagens ao lado do petista durante campanha eleitoral de 2004

 

Ministro Alexandre de Moraes, do STF Foto: Antonio Augusto/Secom/TSE

O casal Roberto Mantovani Filho e Andreia Munarão, suspeitos de hostilizar o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), no Aeroporto de Roma, dirá em depoimento à Polícia Federal (PF) que não houve “motivação política” no ocorrido. Segundo o portal UOL, um dos elementos da defesa do casal deve ser a exibição de fotos de Mantovani com Lula em 2004.

Os depoimentos de Roberto e Andreia estão previstos para acontecer nesta terça-feira (18) e devem durar uma hora e meia cada um. Na oitiva, o casal deve sustentar que não houve ofensa direcionada ao integrante da Suprema Corte. De acordo com advogado Ralph Tórtima, houve um “equívoco interpretativo em torno dos fatos”.

Na versão do casal, a confusão ocorreu entre Andreia e a namorada do rapaz apontado por um agente da PF como filho de Moraes. O advogado relata que Roberto e Andreia viram o ministro no momento em que ele foi encontrar o filho e levá-lo de volta à sala em que estavam no aeroporto.

O advogado do casal disse que cogita mostrar aos policiais fotos em que Mantovani Filho aparece ao lado do presidente Lula em 2004, quando o empresário foi candidato a prefeito da cidade paulista de Santa Bárbara d’Oeste pelo PL. Na época, a sigla era aliada do petista.

– Decidirei na hora, a depender do encaminhamento do delegado – afirmou o advogado.

Foto de Roberto Mantovani e Lula nas eleições de 2004 Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

VERSÃO DO CASAL
De acordo com a defesa do casal, a família de Roberto Mantovani estava no Aeroporto de Roma em um grupo de sete pessoas: Mantovani Filho, Andreia, o filho Giovanni, o genro Alex Zanatta Bignotto, a mulher dele e dois filhos do casal. Bignotto seguia na frente com a esposa e as duas crianças.

Em determinado momento, o grupo teria parado em uma primeira sala vip, mas não conseguiram entrar por não terem feito reserva. Diante disso, Zanatta, a esposa e os filhos seguiram até uma segunda sala vip, deixando Mantovani, Andreia e Giovanni teriam ficado para trás. Ao passar pela primeira sala vip, o ex-candidato a prefeito teria avistado Moraes e comentado com a família.

FONTE:PLENO NEWS

A defesa destaca que, atrás do ministro, outras pessoas já o estariam ofendendo. O advogado de Roberto e Andreia diz que uma mulher que estaria junto ao filho de Moraes teria começado a trocar ofensas e feito um “gesto obsceno” em direção a Andreia. Foi então que, nesse momento, teria começado a discussão com Mantovani.

Andreia teria questionado o ministro por ele ter conseguido entrar na sala vip, e Bignotto, a esposa e as crianças, não. A defesa diz ainda que o rapaz apontado como filho do ministro teria “mandado beijos como uma forma provocativa a Andreia”. O filho de Mantovani, Giovanni, teria chamado Alex Zanatta, que se deparou com o filho de Moraes ofendendo Andreia.

– Reiteram que em nenhum momento ocorreram ofensas, muito menos ameaças ao ministro Alexandre, que casualmente passou por eles nesse infeliz episódio. Mesmo assim, se desculpam pelo mal-entendido havido, externando o veemente respeito que nutrem pelas autoridades públicas, extensivo aos seus familiares – diz a nota do casal.

VERSÃO DE MORAES
O ministro do Supremo disse à PF que teria sido hostilizado por três brasileiros no Aeroporto Internacional de Roma. De acordo com a investigação, a alegação é de que o magistrado teria sido chamado por Andreia Munarão de “bandido, comunista e comprado”. A PF ainda diz que o filho de Moraes teria sido agredido fisicamente por Mantovani Filho.

Share:

Monark evoca Gilmar Mendes e Michel Temer em apelo à PGR Defesa do influenciador usou declarações do ministro do STF e do ex-presidente sobre a democracia

 

Monark Foto: Reprodução/YouTube Flow Podcast

O influenciador Bruno Aiub, o Monark, fez um apelo à Procuradoria-Geral da República nesta sexta-feira (7) usando frases e declarações do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), e do ex-presidente Michel Temer sobre a democracia e a Constituição. A defesa pede que a PGR leve em consideração as ponderações do decano e do político ao analisar a situação do influenciador, que teve as redes sociais suspensas no bojo de inquérito sobre os atos golpistas.

O bloqueio dos perfis de Monark se deu por ordem do ministro Alexandre de Moraes após uma entrevista do influenciador com o deputado Filipe Barros (PL-PR) no Rumble.

– A gente vê o TSE censurando gente, a gente vê o Alexandre de Moraes prendendo pessoas, você vê um monte de coisa acontecendo, e ao mesmo tempo eles impedindo a transparência das urnas? – indagou o influenciador na entrevista.

– Qual é o interesse? Manipular as urnas? Manipular as eleições? – questionou.

O influenciador também teve de depor à Polícia Federal sobre o ocorrido. Monark disse que “em momento algum, incentivou a manifestação e a depredação” no Palácio do Planalto, Congresso e Supremo. Também alegou que “não concorda com as atitudes tomadas pelo Tribunal Superior Eleitoral durante as eleições”.

No aguardo de um parecer da PGR sobre o caso, Monark resolver recorrer a dois nomes de peso no mundo político. No caso de Gilmar Mendes, o influenciador evocou a preocupação do decano com a “relativização da democracia”, externada no Twitter.

Já ao citar o ex-presidente Michel Temer, a defesa de Monark fez referência a um artigo publicado pelo emedebista no Estadão. No texto, Temer afirmou que o “debate de ideias é concepção que decorre do artigo 1º da Constituição, segundo o qual o Brasil é Estado Democrático de Direito”.

– Na democracia, é indispensável a oposição, ao lado da situação.

Em uma estratégia para excluir Monark da mira do inquérito sobre a responsabilidade pelos atos de 8 de janeiro, a defesa sustenta que críticas e pensamentos podem ser “livremente expressados em uma democracia”. O advogado do influenciador, Jorge Urbani Salomão, argumenta que todas as manifestações de seu cliente são protegidas pela Constituição.

Segundo Salomão, as declarações de Gilmar e Temer levam à seguinte conclusão: “As garantias fundamentais previstas na Constituição Federal não podem, em nenhuma medida, ser relativizadas, sob pena de sepultar o livre debate de ideias e pensamentos na vetusta catacumba do autoritarismo, o que poderá ensejar o renascimento de odioso período totalitário que não se coaduna com o Estado Democrático instituído em 5 de outubro de 1988”.

*AE

FONTE:PLENO NEWS

Share:

2023: Número de venezuelanos no Brasil dispara no 1º trimestre "Roraimenses já falam um portunhol", diz presidente da Comissão de Direitos Humanos

 Criança no Abrigos da Operação Acolhida

Criança no abrigo da Operação Acolhida Foto: Operação Acolhida/Casa Civil

O Brasil ainda é um dos países mais procurados pelos venezuelanos quando o assunto é escapar da crise política, econômica e humanitária que vive o país vizinho. De acordo com dados da Operação Acolhida, da Casa Civil do governo federal, só no primeiro trimestre deste ano, de janeiro a março, cerca de 50 mil venezuelanos atravessaram a fronteira do país.

O número representa um crescimento de 64,3% em relação ao mesmo período do ano anterior. A maioria são menores desacompanhados, idosos e pessoas debilitadas. A quantidade de refugiados é mais alarmante na cidade de Pacaraima, em Roraima (RR). O estado é a principal porta de acesso da Venezuela para o Brasil.

De acordo com informações do UOL, a vereadora e presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Maceió, Teca Nelma (PSD), esteve na cidade e avaliou a situação como “desesperadora”.

– É uma crise humanitária sem precedentes – notou.

A parlamentar ressaltou, inclusive, que a língua está sendo trocada em razão da grande presença de venezuelanos.

– Os próprios roraimenses já falam um “portunhol” [fusão do português com espanhol, língua nativa da Venezuela] – alertou.

Além disso, o ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados) afirmou que a população imigrante tem necessitado de uma atenção maior em razão do modo em que estão chegando nas estruturas das entidades de apoio.

– As pessoas idosas, com debilidades, estão chegando em maior número do que no período pré-pandemia. É um recorte de maior vulnerabilidade, que requer uma maior atenção, com serviços de atendimento público especial às necessidades dessa população – disseram ao portal UOL.

A Operação Acolhida foi criada em 2018 pelo governo federal e garante atendimento humanitário aos imigrantes venezuelanos.

FONTE:PLENO NEWS

Share:

Ex-assessora de Joice acusa ex-deputada de fazer rachadinha Ex-funcionária diz que usava o salário dela para pagar gastos pessoais da ex-parlamentar

 

Ex-deputada federal Joice Hasselmann Foto: Wesley Amaral/Câmara dos Deputados

A ex-deputada federal Joice Hasselmann está sendo acusada de se apropriar do salário de uma ex-assessora para o pagamento de gastos pessoais, como o combustível do carro, mensalidade da faculdade e até ração dos gatos da filha. A possível prática de rachadinha foi exposta em uma reportagem do portal UOL publicada nesta quarta-feira (24).

Segundo Juliana Christine Pereira Bejes, que trabalhou com Joice durante um ano e oito meses, a ex-parlamentar não se apropriou de seu salário em apenas dois desses meses. Nas outras ocasiões, segundo a ex-assessora, os valores, que incluíam até o auxílio-creche, eram repassados para a ex-chefe. As quantias mensais equivaliam a cerca de R$ 13,5 mil.

De acordo com o UOL, a ex-funcionária de Joice encaminhou a denúncia para o Ministério Público Federal (MPF) de São Paulo. Na reportagem publicada pelo veículo, constam diversas notas fiscais, faturas de cartão de crédito e extratos de Pix que seriam as provas que sustentariam a versão da ex-assessora.

A forma de devolver o salário, de acordo com Juliana, era pagar despesas particulares da ex-parlamentar. A ex-funcionária diz que Joice pedia foto das notas fiscais para solicitar o reembolso pela Câmara dos Deputados.

Um desses casos está presente em uma nota fiscal de R$ 379,53 que consta no sistema de cota parlamentar da Câmara. O documento mostra que Joice foi reembolsada por um abastecimento na cidade de São Paulo em 30 de agosto de 2021. Juliana afirma que foi seu salário que bancou a despesa.

Para embasar a acusação, ela compartilhou com o UOL sua fatura do cartão de crédito que mostrava uma despesa em valor igual ao abastecimento de Joice. Além disso, o estabelecimento, a data da transação e a bandeira usadas são as mesmas do cartão da ex-assessora.

Em suas redes sociais, Joice negou as acusações e disse que Juliana e o marido forjaram provas para tentar tirar dinheiro dela após a derrota nas eleições de 2022. A ex-parlamentar ainda disse que vai acionar a polícia para denunciar o ocorrido.

No entanto, Hasselmann admitiu que entregava dinheiro ao marido de Juliana para pagar suas contas, mas justificou que isso teria acontecido por conta de um bloqueio de parte de seu salário aplicado em decorrência de um processo judicial envolvendo a revista Veja.

A assessoria de comunicação do Ministério Público Federal confirma que recebeu os documentos de Juliana. Os procuradores ainda avaliam o conteúdo das denúncias feitas pela ex-assessora da ex-deputada para decidir quais medidas vão adotar.

FONTE:PLENO NEWS

Share:

Desabamento de prédio em Pernambuco deixa dois mortos Quatro pessoas foram retiradas dos escombros com vida

 

Prédio que desabou em Pernambuco Foto: Reprodução/TV Globo

O desabamento parcial de um edifício de três andares, na noite desta quinta-feira (27), no bairro Jardim Atlântico, em Olinda, Pernambuco, deixou ao menos duas pessoas mortas. Outras quatro pessoas foram retiradas dos escombros com vida.

Das vítimas retiradas com vida do local, duas estavam em estado grave e duas foram resgatadas com ferimentos leves. Todas foram encaminhadas para atendimento em unidades médicas da região. Ao todo, o Corpo de Bombeiros informou que enviou 15 viaturas ao local do ocorrido. Nas redes sociais, o prefeito de Olinda, Lupécio do Nascimento (Solidariedade), lamentou a tragédia.

– Estamos mobilizados para prestar toda assistência para as vítimas do Edifício Lene, que desabou no Jardim Atlântico – disse ele.

A governadora de Pernambuco, Raquel Lyra (PSDB), por meio das redes sociais, também disse que o governo do estado prestará todo o apoio necessário ao município.

– Os bombeiros já estão atuando na ocorrência e no socorro de possíveis vítimas. Ficaremos atentos ao trabalho – publicou ela.

*AE

FONTE:PLENO NEWS

Share:

Funcionários vivem incerteza sobre futuro da Americanas Sob a condição de anonimato, colaboradores contaram que estão enviando currículo para outras empresas

 

Lojas Americanas Foto: Reprodução/ Print de vídeo YouTube Band Jornalismo

Um misto de desconfiança e de negação da realidade predomina entre os funcionários das lojas físicas da Americanas. Neste mês, a empresa entrou em recuperação judicial há menos de duas semanas depois de divulgar “inconsistências” de R$ 20 bilhões em seus balanços.

Com cerca de 1.800 pontos de vendas espalhados pelo país e também com forte presença no comércio online, a companhia tem cerca 45 mil funcionários. A rede está entre os maiores empregadores do país.

Na última sexta-feira (27), o Estadão visitou várias lojas da varejista na cidade de São Paulo e conversou com funcionários, sob a condição de anonimato. Eles disseram que a empresa mantém em dia o pagamento de salários e que, por ora, nada mudou na rotina de trabalho. Mas o que se percebe é que o clima entre os trabalhadores é dúbio: oscila entre o receio de perder o emprego e a “certeza” de que a crise na empresa não existe.

Uma vendedora, com menos de 1 ano de empresa disse que nunca passou pela sua cabeça que a Americanas pudesse entrar em crise. Animada com a companhia, ela está sendo treinada para subir de cargo, virar supervisora e ganhar mais. Ainda assim, ela já começou a mandar currículo para concorrentes da rede.

Em outra loja, outros funcionários também confirmaram que, na dúvida, começaram a se movimentar. Na empresa há quase 1 ano e meio, outra funcionária disse que não pode correr o risco de ficar sem dinheiro para pagar a faculdade.

COMUNICADO
Logo depois que a Justiça do Rio aceitou o pedido de recuperação judicial, no último dia 19, a Americanas enviou comunicado às lojas. Disse que a rede não vai falir e que “a recuperação judicial é justamente uma forma de empresas viáveis economicamente seguirem com suas operações, com seu caixa preservado e negociando com seus credores”. O comunicado esclarece também que “a lei prevê que os salários sejam pagos normalmente durante o período em que a empresa estiver em recuperação judicial”.

Na questão se haverá demissões, a Americanas afirmou que, neste momento, a companhia está focada na manutenção das operações. Em seguida, acrescentou que “um plano estratégico de otimização dos recursos está em andamento para que decisões que garantam a sustentabilidade da companhia tenham efeitos em curto prazo”. No entanto, ponderou que, “em processos como esse, é comum que haja reestruturação”.

É exatamente esse o ponto crucial para as lideranças sindicais. Na análise do presidente do Sindicato dos Comerciários de São Paulo e presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah, o que está escrito nas entrelinhas é que poderá haver demissões.

– A empresa não responde claramente a pergunta se as demissões vão ocorrer, mas quem tem experiência sabe que, o que está dito na última frase, que cita a reestruturação, é isso.

BLOQUEIO
Na última quarta-feira (25), seis centrais sindicais e duas confederações de trabalhadores ajuizaram uma ação civil pública na 8ª Vara do Trabalho de Brasília para pedir que a Justiça bloqueie R$ 1,53 bilhão da conta pessoal dos principais acionistas da Americanas – o trio Jorge Paulo Lemann, Carlos Alberto Sicupira e Marcel Telles -, com o argumento de que é necessário garantir que as 17 mil ações trabalhistas em curso contra a varejista sejam pagas.

O pedido de liminar foi assinado, além da UGT, pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Força Sindical, Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), Confederação dos Trabalhadores no Comércio e Serviços (Contracs-CUT) e Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio (CNTC ). Até a conclusão desta edição, a Justiça não havia se pronunciado sobre o pedido.

De acordo com Patah, a ação civil pública é para garantir os processos em curso.

– Mas a intenção é conseguir sensibilizar o juiz para que os acionistas injetem os recursos necessários para cobrir a recuperação judicial – afirmou o sindicalista.

Procurada, a Americanas informou, por meio de sua assessoria, que “ainda não foi notificada formalmente da ação e que se manifestará a seu respeito nos autos do processo, dentro dos prazos legais fixados”.

*AE

FONTE:PLENO NEWS

Share:

Michelle Bolsonaro se manifesta após divulgação de sigilo Os nomes das pessoas que visitaram a ex-primeira-dama foram revelados pelo GSI de Lula

Michelle Bolsonaro Foto: Reprodução/YouTube ADVEC

A ex-primeira-dama, Michelle Bolsonaro, se manifestou após o Jornal O Estado de São Paulo divulgar a lista das pessoas que a visitaram no Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente da República.

O documento estava sob sigilo de 100 anos que foi quebrado após imposição do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), sendo então divulgado pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República. 

A relação tem 565 registros de entrada na residência oficial e abrange o período de dezembro de 2021 a dezembro de 2022. A frequentadora mais assídua do Alvorada é Nídia Limeira de Sá, ex-diretora de Acessibilidade e Apoio a Pessoas com Deficiência do Ministério da Educação que esteve com Michelle por 51 vezes.

O pastor Claudir Machado, da Igreja Batista Atitude de Brasília, visitou a residência do presidente por 31 vezes.

O nome de Juliene Cunha também está entre os visitantes mais assíduos. Chamada de cabeleireira na reportagem do Estadão, Michelle precisou corrigir o erro em suas redes sociais.

– Fazendo só uma correção: “a cabeleireira” é minha manicure – disse ela no Instagram, com uma figura de risada.

Cynara Boechat, que se apresenta como estilista de celebridades, também está entre os que mais visitaram a ex-primeira-dama.


Michelle comenta notícia nos stories do Instagram Foto: Reprodução
FONTE PLENO NEWS
Share:

Michelle Bolsonaro se manifesta após divulgação de sigilo Os nomes das pessoas que visitaram a ex-primeira-dama foram revelados pelo GSI de Lula

 

Michelle Bolsonaro Foto: Reprodução/YouTube ADVEC

A ex-primeira-dama, Michelle Bolsonaro, se manifestou após o jornal O Estado de São Paulo divulgar a lista das pessoas que a visitaram no Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente da República.

O documento estava sob sigilo de 100 anos que foi quebrado após imposição do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), sendo então divulgado pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República.

A relação tem 565 registros de entrada na residência oficial e abrange o período de dezembro de 2021 a dezembro de 2022. A frequentadora mais assídua do Alvorada é Nídia Limeira de Sá, ex-diretora de Acessibilidade e Apoio a Pessoas com Deficiência do Ministério da Educação que esteve com Michelle por 51 vezes.

O pastor Claudir Machado, da Igreja Batista Atitude de Brasília, visitou a residência do presidente por 31 vezes.

O nome de Juliene Cunha também está entre os visitantes mais assíduos. Chamada de cabeleireira na reportagem do Estadão, Michelle precisou corrigir o erro em suas redes sociais.

– Fazendo só uma correção: “a cabeleireira” é minha manicure – disse ela no Instagram, com uma figura de risada.

A Cynara Boechat, que se apresenta como estilista de celebridades, também está entre os que mais visitaram a ex-primeira-dama.

Michelle comenta notícia nos stories do Instagram Foto: Reprodução
FONTE;pleno news
Share:

Jovem que achou e devolveu R$ 1,7 mil consegue emprego Jéssica Caroline Barros, de 28 anos, estava desempregada quando decidiu procurar dono da quantia

 

Jovem que achou e devolveu dinheiro acabou conseguindo emprego por gesto de honetidade Foto: Reprodução/ EPTV

Em Jaboticabal (SP), uma jovem encontrou uma bolsa com R$ 1,7 mil dentro e decidiu procurar o dono para devolver a quantia. Jéssica Caroline Barros, de 28 anos, estava desempregada quando encontrou o valor, mas isso não foi motivo para que ela deixasse de tentar localizar a pessoa que perdeu o dinheiro. Seu exemplo acabou ganhando notoriedade e ela recebeu uma oferta de emprego, tendo começado a trabalhar em um lar de idosos.

No novo empregou, Jéssica está exercendo a função de cuidadora. Ela disse que ter conseguido um trabalho foi melhor do que ficar com o dinheiro. A verba acabou sendo devolvida após um post da jovem nas redes sociais.

O dinheiro foi encontrado quando a jovem estava indo pagar contas. A situação não estava fácil, mas Jéssica se colocou no lugar do dono do dinheiro, que também deveria ter contas a pagar.

– Estava fazendo freelancer de depilação. Estava difícil para pagar as contas. E o mais difícil era não poder ajudar em casa, porque somos eu, minha mãe, meu avô, meus irmãos e mais um sobrinho. Foi um presente de Deus. Melhor que dinheiro, porque dinheiro acaba, e emprego dá estabilidade – falou.

NOVO TRABALHO
A vaga foi oferecida pelo proprietário do lar de idosos, Leandro Ferreira, se sensibilizou com o caso e resolveu procurar Jéssica. Uma entrevista de emprego foi feita no último dia 4 e, no dia seguinte, a jovem começou a trabalhar.

– Pessoas com atitudes assim merecem toda a credibilidade e confiança. Os idosos que nós temos aqui merecem todo o carinho, amor, atenção e pessoas honestas, assim como a Jéssica foi. Mérito dela e que Deus continue a abençoando. É difícil achar pessoas honestas como a Jéssica. Se ela teve essa atitude lá, ela vai ter a mesma atitude cuidando de nossos idosos – disse o empresário.

DINHEIRO PERTENCIA A UMA APOSENTADA
O dinheiro devolvido, que mudou a vida de Jéssica foi encontrado, no dia 2 de janeiro, em uma rua do Centro da cidade. Muitos golpistas tentaram se passar por donos da quantia, mas o sobrinho da dona da bolsa fez contato e forneceu detalhes. A verdade é que a quantia passava um pouco de R$ 1,7 mil, totalizando R$ 1.740,25. Somente o verdadeiro dono saberia até os centavos que estavam na carteira. A verba era referente a um benefício de uma aposentada.

Jéssica afirmou que fez o que gostaria que alguém tivesse feito por ela.

– É o mesmo que queria que fizessem comigo. Imaginei a pessoa desesperada, precisando do dinheiro. A consciência está tranquila. Fiz o certo, graças a Deus. [Sensação] de bem-estar com a gente, e feliz por a pessoa estar bem e ter recebido o dinheiro.

FONTE:PLENO NEWS

Share:

Marinha demite capitão por participação em atos políticos Regulamento das Forças Armadas não permite aos militares participação em manifestações políticas

 

Vilmar José Furtuna Foto: Reprodução / Redes Sociais

Na mesma linha de decisão do Exército, que optou por demitir um coronel da reserva por participar das manifestações radicais no último domingo (8), a Marinha do Brasil confirmou, nesta terça-feira (10), que demitiu o capitão de mar e guerra da reserva, Vilmar José Furtuna.

Ele estava no cargo por período determinado no Ministério da Defesa e, segundo o Portal da Transparência, recebia algo em torno de R$ 35 mil por mês.

O motivo da decisão foi, de fato, segundo a Marinha, sua ligação com os atos extremistas comprovada por fotografia no local e publicada nas redes sociais.

De acordo com o Regulamento Disciplinar das Forças Armadas, militares não podem participar de atos políticos, com agravamento se associados a depredações ou atitudes reprováveis contra a ordem democrática e constitucional. A norma é válida até para os que estão na chamada reserva remunerada.

FONTE:PLENO NEWS

Share:

General adverte Barroso após ele chamar manifestante de “mané” Paulo Chagas disse ao ministro para tomar "cuidado com a cólera das multidões"

 

General Paulo Chagas Foto: Câmara dos Deputados/Pablo Valadares

O general Paulo Chagas usou as redes sociais para direcionar o que chamou de “alerta” ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, após o magistrado chamar de “mané” um brasileiro que o interpelou nas ruas de Nova Iorque, nos Estados Unidos.

Em postagem no Twitter nesta quarta-feira (16), Chagas afirmou que “todo o poder emana do povo” e disse ao ministro para ter “cuidado com a cólera das multidões”.

– Dita pelo senhor ministro Luiz Roberto Barroso, a frase do momento é “perdeu, mané!”, dirigida a um brasileiro que o interpelava em NY. Com todo respeito e no mesmo nível, eu o alerto: Se liga, mané, todo o poder emana do povo! Quem avisa amigo é, cuidado com a “cólera das multidões”!! – escreveu o militar.

Cansado de “manter a pose” diante de protestos, o ministro rebateu o manifestante durante sua viagem aos Estados Unidos, onde esteve para participar de uma conferência organizada pelo LIDE (Grupo de Líderes Empresariais). O magistrado bradou um sonoro: “Perdeu, mané. Não amola”.

A resposta foi ao questionamento de um homem sobre a liberação do código-fonte das urnas eletrônicas ao Ministério da Defesa, para que a auditoria fosse completa, segundo solicitaram os militares.

– O senhor vai responder as Forças Armadas? Vai deixar o código-fonte ser exposto? O Brasil precisa dessa resposta, ministro – questionou o manifestante, na ocasião.

A frase logo repercutiu nas redes sociais, tornando-se um dos assuntos mais comentados do Twitter na última terça-feira (15).

FONTE:PLENO NEWS

Share:

Em MG, acidente deixa ao menos 7 mortos; 2 crianças são vítimas Crianças de 2 e 7 anos morreram no grave acidente que aconteceu na altura da cidade de Ouro Preto

 

Acidente grave em Ouro Preto matou sete pessoas Foto: Corpo de Bombeiros de Ouro Preto

Ao menos sete pessoas morreram em um grave acidente ocorrido na noite deste domingo (16) envolvendo quatro carros na altura do quilômetro 88 da BR-356, em Ouro Preto, Minas Gerais. Entre os mortos estão duas crianças, de 2 e 7 anos. Quatro adultos faleceram já no local do acidente, enquanto outra pessoa morreu depois de dar entrada em uma unidade de saúde.

De acordo com informações passadas pela Polícia Militar ao portal G1, o acidente foi provocado por uma ultrapassagem irregular de um dos condutores envolvidos no acidente, que não tinha habilitação. Ele foi uma das sete pessoas que morreram no ocorrido.O comandante da 2ª Companhia de Bombeiro Militar, em Ouro Preto, informou que as vítimas estavam presas às ferragens. Duas pessoas foram transferidas para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte. Uma mulher de 28 anos que está em estado grave, e uma adolescente de 16 anos que segue estável.

Por causa do forte impacto entre os veículos, o trânsito ficou interditado nos dois sentidos da rodovia. A pista onde a colisão aconteceu ficou fechada por quase seis horas, sendo liberada por volta das 23h. Os corpos foram encaminhados para o IML da cidade de Itabirito. A polícia trabalha agora para identificar as vítimas.

FONTE:PLENO NEWS

Share:

Aneel aprova revisão que reduz tarifas de 10 distribuidoras Novos valores entram em vigor a partir desta quarta-feira

 

Aneel aprova revisão tarifária que reduz tarifas de 10 distribuidoras Foto: Pexels

Nesta terça-feira (12), a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou as Revisões Tarifárias Extraordinárias (RTEs) de dez distribuidoras que já passaram por processo tarifário em 2022, levando à redução dos índices que já tinham sido homologados. As novas tarifas entram em vigor a partir da quarta-feira (13).

De acordo com a ANEEL, as revisões ocorreram em decorrência da aplicação da Lei nº 14.385/2022, para considerar a devolução de valores advindos de ações judiciais transitadas em julgado que estabeleceram a exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS/Cofins cobrado na conta de energia.

Considerando a decisão de hoje e as devoluções já ocorridas nos processos de 2022, o efeito médio sobre as tarifas vigentes a ser percebido pelos consumidores residenciais varia de 0,5% a 5,34% de redução, dependendo da distribuidora.

A agência informou que foram adiadas as deliberações dos processos tarifários das distribuidoras Energisa Mato Grosso do Sul (EMS), Energisa Mato Grosso (EMT), cujos créditos ainda não foram habilitados pela receita federal, além da Equatorial Alagoas e da Light, por causa de liminares judiciais.

Em relação aos processos tarifários de distribuidoras que ainda não ocorreram em 2022, o colegiado da Aneel fará os cálculos do impacto da devolução no momento do reajuste e da revisão de cada empresa.

*Agência Brasil.

FONTE:PLENO NEWS

Share:

Barbosa diz que Forças Armadas devem “permanecer quietinhas” Ex-ministro do STF rebateu falas do atual ministro da Defesa

 

Ex-ministro do STF, Joaquim Barbosa Foto: Nelson Jr./SCO/STF

O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, elevou o tom contra o ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira, em uma série de postagens no Twitter na madrugada desta quinta-feira (7). As falas de Nogueira sobre a colaboração da Forças Armadas nas eleições motivou as críticas do ex-membro da Corte.

Em comissão na Câmara dos Deputados, o ministro da Defesa disse que “As Forças Armadas estavam quietinhas em seu canto e foram convidadas pelo TSE”. Barbosa, por sua vez, rebateu dizendo que “as Forças Armadas devem permanecer quietinhas em seu canto, pois não há espaço para elas na direção do processo eleitoral brasileiro”.

Barbosa criticou a posição de apoio ao presidente Jair Bolsonaro pelo ministro da Defesa e falou em golpe.

– Insistir nessa agenda de pressão desabrida e cínica sobre a Justiça Eleitoral, em clara atitude de vassalagem em relação a Bolsonaro, que é candidato à reeleição, é sinalizar ao mundo que o Brasil caminha paulatinamente rumo a um golpe de Estado. Pense nisso, general – assinalou.

Continuando as críticas, Barbosa ressaltou a independência do TSE em relação aos “militares de casaca”.

– Um aspecto importantíssimo, que singulariza o Brasil no concerto das democracias, reside precisamente no seguinte: temos um ramo da Justiça, independente, concebido precisamente para subtrair o processo eleitoral ao controle dos políticos. E dos militares de casaca, claro – concluiu.

FONTE:PLENO NEWS

Share:

Postagem em Destaque

Batimentos de jovem em UTI iam a 190 quando pai a tocava Homem foi preso no mês passado e vai responder pelo crime de estupro

  Homem foi preso sob suspeita de ter abusado da filha  Foto: Reprodução/TV Globo A frequência cardíaca da jovem que teria sido abusada pelo...

Comente deixe sua opinião

Aplicativo da webradioesperanca

Blog Archive

SIGA-ME

SIGA-ME
SEJA UM SEGUIDOR

TWITTER

whatsapp

Postagens mais visitadas

Globo de visitas