Esperança News

Ministro do Meio Ambiente ataca ‘governos anteriores’ em discurso na COP27 Joaquim Leite afirmou no plenário da conferência, no Egito, que foco de antecessores de Bolsonaro "era enviar recursos soment... Leia mais em: https://veja.abril.com.br/coluna/radar/ministro-do-meio-ambiente-ataca-governos-anteriores-em-discurso-na-cop27/



O ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, discursa na COP27, em Sharm el-Sheikh, no Egito, nesta terça-feira // Ministério do Meio Ambiente/Divulgação 


 Chefe da delegação do Brasil na COP27, o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, discursou nesta terça-feira, 15, no plenário da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, no Egito, e aproveitou seu pronunciamento para atacar “governos anteriores”, que segundo ele tinham como foco “enviar recursos somente para ONGs”.


O presidente Jair Bolsonaro não compareceu ao evento, ao contrário de outros importantes líderes mundiais, como Joe Biden, dos Estados Unidos. Já o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, chegou ao Egito na madrugada desta terça (no horário local) e deverá discursar na área da ONU na quarta-feira.


O ministro também cobrou a comunidade internacional, que costuma fazer críticas às políticas ambientais do governo Bolsonaro, e disse que o país vai “continuar recordando o compromisso dos países ricos em financiar com volumes relevantes e de forma eficiente os países em desenvolvimento para implementação de ações de mitigação, adaptação e compensações por perdas e danos”.


Em nome do governo brasileiro, Leite exaltou projetos como o novo marco do saneamento e resultados do programa Lixão Zero, além das iniciativas de pagamentos por serviços ambientais, e declarou que o Brasil tem a matriz energética mais limpa dentre as grandes nações, com 85% de geração de energia de fontes renováveis.


Veja abaixo a íntegra do discurso do ministro do Meio Ambiente:


Senhores Ministros e Chefes de delegação,


O Brasil ainda tem enormes desafios ambientais a superar, assim como a maioria dos 194 países signatários do acordo do clima. O desmatamento ilegal na Amazônia, os 100 milhões de brasileiros sem acesso a rede de esgoto e 35 milhões a água potável e ainda mais de 2.600 lixões a céu aberto.


Desde 2019, trabalhamos junto com o setor privado para encontrar soluções climáticas e ambientais lucrativas para as empresas, as pessoas e a natureza. Invertemos a lógica dos governos anteriores de só agiam para multar, reduzir e culpar, este governo faz políticas para incentivar, inovar e empreender, criando assim marcos legais para uma robusta economia verde com geração de emprego e renda a todos os brasileiros, aqui vão alguns bons exemplos:


Novo Marco do Saneamento e dos Resíduos, o Lixão Zero, o Recicla+, Floresta+, Escolas +Verdes, Programa Metano Zero, Renovar Frota +Verde, Plano de Baixa Emissão na Agropecuária, e Campo Limpo, programa de reciclagem de embalagem de defensivos agrícolas com índice de 94%, bem acima da França e Alemanha, com 70%, e Estados Unidos, 30%, indicador que demonstra a sustentabilidade na atividade agrícola convencional mais regenerativa do mundo. Nossa agricultura tropical bate recordes de produção, resultado de técnicas modernas e eficientes que protegem o solo e fixam carbono da atmosfera.


O mercado regulado de crédito de carbono traz elementos inovadores na formação de instrumentos econômicos que possibilitam a monetização dos ativos ambientais. O Brasil vai ser líder nesta compensação ambiental e exportar créditos de carbono para empresas e países poluidores


Trouxemos aqui na COP27 o Brasil das Energias Verdes, com matriz elétrica 85% renovável e recordes históricos de instalação de eólica e solar e, devido às políticas de incentivos dos últimos anos, o país é um exemplo para o mundo. Com energia excedente poderá produzir hidrogênio e amônia verdes para exportação. Mais uma vez somos parte da solução, que vai de alimento a energia limpa


Diante do especial interesse do Japão, Europa e dos Estados Unidos em fortalecer novas cadeias de suprimentos sustentáveis, o Brasil se destaca pela ampla capacidade gerar energia totalmente limpa e barata, podendo ser um fornecedor de produtos industriais com uma das menores pegadas de carbono do mundo.


Filantropos, líderes e empresários e seu sempre exagerado número de assessores vieram em jatos particulares ao luxuoso balneário do Mar Vermelho para cobrar metas de redução de emissões dos outros, sugerindo carros ultramodernos a hidrogênio ou 100% elétricos, completamente desconexos da realidade de diversas regiões do Brasil e do mundo. Os governos têm a responsabilidade de atuar nesta agenda com racionalidade sem discursos populistas e utópicos. Um bom exemplo é o financiamento para renovação de frotas de caminhões, carros, tratores e embarcações. No Brasil, temos mais de 900 mil caminhões com mais de 25 anos, imagine esta quantidade de veículos ao redor do mundo, isto sim reduz emissões, melhora saúde pública e gera empregos.


Vamos continuar recordando o compromisso dos países ricos em financiar com volumes relevantes e de forma eficiente os países em desenvolvimento para implementação de ações de mitigação, adaptação e compensações por perdas e danos.


Diferente dos governos anteriores, onde o foco era enviar recursos somente para ONGs, nos últimos anos implementamos políticas junto com o setor privado para dar escala a uma nova economia verde com objetivo de neutralidade climática até 2050. “O mundo não será salvo pelos caridosos, mas pelos eficientes” (Roberto Campos).


O Brasil acredita que o mundo deve caminhar para uma política ambiental racional na direção de desenvolvimento econômico e geração de emprego verdes, não na redução de emissões extremamente forçada, via taxas e custos a vários setores econômicos, com risco de geração de inflação verde e aumento da pobreza.


Muito Obrigado>>>FONTE:REVISTA VEJA

Share:

Cidadãos de Rondônia chegam ao QG do Exército em Brasília Atos contra a eleição de Lula já duram mais de duas semanas

 

Grupo de Rondônia é recebido pelos demais manifestantes Foto: Reprodução

Os manifestantes que acampam na porta do Quartel General do Exército há mais de duas semanas receberam neste domingo (19) uma caravana vinda de Rondônia com centenas de pessoas.

O vídeo da chegada do grupo foi compartilhado no Twitter, com os manifestantes gritando o nome do estado.

Vestidos de verde e amarelo e com faixas, os cidadãos são recebidos com aplausos e assobios pelos demais manifestantes.

Brasileiros de diversas partes do país estão unidos em protesto contra o resultado da eleição presidencial.

ASSISTA:

Share:

Lula visita presidente português e é recebido por manifestantes Apoiadores do petista também estiveram presentes e a segurança foi reforçada

 

Brasileiros contrários à eleição de Lula protestam em Portugal Foto: Reprodução

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se encontrou, nesta sexta-feira (18), com o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, em Lisboa, Portugal, onde foi recebido por apoiadores e críticos.

Brasileiros contrários e favoráveis à eleição do petista estavam na porta do Palácio de Belém, sede do governo português, para expressar suas posições.

A segurança foi reforçada para evitar confrontos. De um lado, os brasileiros diziam que o país foi roubado. Do outro, que a democracia voltou a reinar no Brasil.

– O Lula nem podia ter participado da eleição, ele foi solto pela máfia do STF que fraudou, completamente, temos provas. Lula não foi eleito, foi fraude. Se tivesse sido, você acha que o Brasil estava parado? – comentou uma brasileira em entrevista à CNN Portugal.

Outro brasileiro criticou o ministro Alexandre de Moraes e disse que o país “vive a ditadura da toga”.

FONTE:PLENO NEWS

Share:

Coronel que negociou bloqueio na PR-151 faltará reunião no TSE Comandante da PM atribui sua ausência à "incompatibilidade de agenda"

 

Hudson Leôncio Teixeira, comandante da PM no Paraná Foto: Reprodução

O coronel Hudson Leôncio Teixeira, atual comandante da Polícia Militar do Paraná, enviou um ofício ao ministro Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), avisando que não estará presente na reunião que ocorrerá na Corte na próxima quarta-feira (23).

O militar afirma que não comparecerá por motivos de “incompatibilidade de agenda”, entretanto, não pretende designar nenhum representante para ir à reunião em seu lugar.

Hudson Leôncio foi filmado articulando a liberação da rodovia PR-151, em Ponta Grossa (PR), fechada por manifestantes após as eleições, no dia 2 de novembro.

Na ocasião, o militar pediu que os manifestantes ficassem apenas de um lado da via para liberar a passagem em vez de forçar a retirada total, como o ministro Alexandre de Moraes havia determinado no dia 31 de outubro.

– Na verdade, a gente está prevaricando, já deveria ter feito [o que a lei determinou]. Vão começar a fazer multa de todo mundo. Multa de trânsito e aquela multa de R$ 100 mil – disse ele aos manifestantes na ocasião.

FONTE:PLENO NEWS

Share:

Kleber Lucas vai fazer parte da equipe de transição de Lula Cantor deve ter o nome oficializado nos próximos dias no Diário Oficial

 

Kleber Lucas Foto: Divulgação

O cantor gospel Kleber Lucas será um dos integrantes da equipe de Cultura do grupo de transição do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT). De acordo com o portal G1, Kleber aceitou o convite e já participará de sua primeira reunião nesta sexta-feira (18). A publicação do nome dele no Diário Oficial da União (DOU) deve acontecer nos próximos dias.

Durante a campanha presidencial deste ano, o cantor decidiu apoiar a candidatura do petista e chegou a participar de um jingle que reuniu vários artistas no qual era feita uma paródia da música Não Quero Dinheiro, de Tim Maia. Na adaptação, a nova letra pedia que os eleitores votassem em Lula.

Com mais de 280 pessoas, a equipe de transição de Lula é uma das maiores já nomeadas no Brasil. O grupo, no entanto pode passar de 300 indicados em virtude do fato de que ainda há nomes e áreas pendentes a serem oficializadas. O grupo de Defesa, por exemplo, deve ter seus nomes conhecidos apenas na próxima segunda (21).

FONTE:PLENO NEWS

Share:

“Já ganhou a eleição? Cala a boca e vai trabalhar”, dispara Guedes Para o ministro, conflito entre social e fiscal revela incapacidade técnica

 

Paulo Guedes, ministro da Economia Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O ministro da Economia Paulo Guedes afirmou, nesta sexta-feira (18), que é ignorância e incapacidade técnica declarar que há um conflito entre responsabilidade fiscal e social. Segundo ele, o maior programa de responsabilidade social do Brasil foi criado pelo governo Jair Bolsonaro (PL).

Segundo Guedes, o Auxílio Brasil tem orçamento de R$ 150 bilhões e o Bolsa Família tinha R$ 50 bilhões.

– Fizemos um programa social três vezes maior – afirmou.

Guedes ainda questionou onde estavam os 30 milhões de brasileiros passando fome que não foram descobertos durante o governo do PT.

– Já ganhou a eleição? Cala a boca, vai trabalhar, vai construir um negócio melhor. Se fizer menos barulho, trabalhar um pouco mais com a cabeça e menos com a mentira, talvez possa ser bom governo – disparou.

O ministro também criticou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Transição, que prevê tirar do teto de gastos as despesas com o Bolsa Família. Segundo ele, usar o espaço fiscal para financiar obras públicas é um erro.

– Fazer PEC sem fonte de financiamento para fazer obras? Já ouvi essa história – afirmou.

Guedes apontou também que o governo Jair Bolsonaro devolve o país com superávit primário pela primeira vez em dez anos. Segundo ele, nos quatro anos de governo, o teto de gastos foi respeitado, a não ser em situações excepcionais.

– Teoria econômica aplicada funciona. Colocamos o Brasil no caminho da prosperidade. Comparado ao período anterior, onde não houve Covid e guerra geopolítica, o desempenho da economia foi melhor conosco do que antes. Chegamos falando que o Estado brasileiro gasta muito e gasta mal. Cortamos privilégios com a reforma da Previdência – apontou o ministro.

Guedes disse que o teto de gastos foi mal construído, apesar da filosofia original ser correta. Para ele, com o aumento de gastos nos últimos 30 anos, era necessário reduzir esse ritmo de expansão. Entretanto, ele criticou o fato de a norma não ter mecanismos para distribuição de recursos em momentos de bonança ou de crises.

*AE

FONTE:PLNEO NEWS

Share:

Indicado por Bolsonaro, Ilan Goldfajn será presidente do BID Ele se tornou o primeiro brasileiro a assumir a instituição criada em 1959

 

Ilan Goldfajn Foto: EFE/Fernando Bizerra Jr.

Neste domingo (20), Ilan Goldfajn foi eleito como presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), se tornando o primeiro brasileiro a dirigir o maior banco de fomento da América Latina.

Goldfajn é atualmente diretor do FMI e foi indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para concorrer à presidência do BID.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, conseguiu fazer negociações para que Goldfajn pudesse ser eleito. Nessas conversas, ele conseguiu convencer que Cecília Todesca, secretária de Assuntos Internacionais da Argentina, desistisse de sua candidatura para apoiar o brasileiro.

Assim, se tornou possível garantir que indicado pelo governo Bolsonaro tivesse votos suficientes para vencer os demais candidatos que eram Gerard Johnson, nomeado por Trinidad e Tobago; Gerardo Esquivel Hernández, pelo México, e Nicolás Eyzaguirre Guzmán, nomeado pelo Chile.

FONTE:PLENO NEWS

Share:

General adverte Barroso após ele chamar manifestante de “mané” Paulo Chagas disse ao ministro para tomar "cuidado com a cólera das multidões"

 

General Paulo Chagas Foto: Câmara dos Deputados/Pablo Valadares

O general Paulo Chagas usou as redes sociais para direcionar o que chamou de “alerta” ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, após o magistrado chamar de “mané” um brasileiro que o interpelou nas ruas de Nova Iorque, nos Estados Unidos.

Em postagem no Twitter nesta quarta-feira (16), Chagas afirmou que “todo o poder emana do povo” e disse ao ministro para ter “cuidado com a cólera das multidões”.

– Dita pelo senhor ministro Luiz Roberto Barroso, a frase do momento é “perdeu, mané!”, dirigida a um brasileiro que o interpelava em NY. Com todo respeito e no mesmo nível, eu o alerto: Se liga, mané, todo o poder emana do povo! Quem avisa amigo é, cuidado com a “cólera das multidões”!! – escreveu o militar.

Cansado de “manter a pose” diante de protestos, o ministro rebateu o manifestante durante sua viagem aos Estados Unidos, onde esteve para participar de uma conferência organizada pelo LIDE (Grupo de Líderes Empresariais). O magistrado bradou um sonoro: “Perdeu, mané. Não amola”.

A resposta foi ao questionamento de um homem sobre a liberação do código-fonte das urnas eletrônicas ao Ministério da Defesa, para que a auditoria fosse completa, segundo solicitaram os militares.

– O senhor vai responder as Forças Armadas? Vai deixar o código-fonte ser exposto? O Brasil precisa dessa resposta, ministro – questionou o manifestante, na ocasião.

A frase logo repercutiu nas redes sociais, tornando-se um dos assuntos mais comentados do Twitter na última terça-feira (15).

FONTE:PLENO NEWS

Share:

Augusto Nunes, Henkel e Fiuza se reúnem em novo programa Comentaristas deixaram a Jovem Pan recentemente

 

Oeste sem Filtro Foto: Divulgação/Revista Oeste

Augusto Nunes, Ana Paula Henkel e Guilherme Fiuza voltarão a figurar em um programa diário. O novo endereço do trio será o canal da Revista Oeste no YouTube, com o Oeste Sem Filtro, cuja estreia está marcada para 23 de novembro.

Paula Leal, editora da Revista Oeste, vai comandar atração, e se diz honrada em acompanhar os comentaristas experientes.

– É uma honra apresentar um programa com as opiniões do melhor trio de comentaristas do Brasil – diz Paula.

De acordo com Augusto Nunes, o novo noticiário vai seguir uma das características de Os Pingos nos Is, da Jovem Pan.

– Os espectadores podem esperar comentários feitos com total liberdade, sem nenhuma espécie de censura. Essa foi uma das características dos Pingos nos Is e será a nossa marca – afirma o veterano.

Augusto Nunes e Guilherme Fiuza foram desligados da Jovem Pan no dia 31 de outubro, um dia após o segundo turno das eleições, que deu vitória a Luiz inácio Lula da Silva (PT) como presidente da República. Uma semana depois, em 7 de novembro, Ana Paula Henkel pediu desligamento da emissora. Segundo ela, a decisão foi a demissão de Nunes, que foi quem lhe abriu as portas para o programa e que a fez continuar todas as vezes que pensou em desistir de participar da atração diária.

Oeste Sem Filtro irá ao ar diariamente, das 17h45 às 19h30.

FONTE:PLENO NEWS

Share:

Postagem em Destaque

Heloisa Bolsonaro critica artistas na posse: “Volta a farra” Esposa do deputado Eduardo Bolsonaro questionou como será feito o pagamento dos cantores

  Heloisa Bolsonaro  Foto: Reprodução/Redes Sociais A esposa do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP),  Heloisa Bolsonaro , criticou em...

Comente deixe sua opinião

Blog Archive

SIGA-ME

SIGA-ME
SEJA UM SEGUIDOR

TWITTER

whatsapp

Postagens mais visitadas

Globo de visitas